Imprensa / Notícias do Setor / Espaço do Associado

08/06/2018



SHOPPINGS CENTERS E LOJAS AMPLIAM O LEQUE DE SERVIÇOS


Shoppings centers e lojas ampliam o leque de serviços

 

A transformação tecnológica e as novas relações de consumo no varejo brasileiro têm impactado diretamente no setor de shopping centers. Tanto os lojistas quantos os empreendimentos estão aumentando a oferta de serviços. “Do lado dos empreendedores proprietários de shopping centers existe um movimento crescente de aumentar espaço destinado aos serviços - restaurantes, cabeleireiros, lazer, bancos. Por outro lado, os lojistas também estão alterando seu modelo de negócios para trazer clientes para dentro das lojas, deixando de vender apenas produtos e oferecendo serviços ou espaço para lazer”, afirma Tais Cundari, Sócia Consultora da Fesa Group, consultoria de retained executive search e de estratégia de Capital Humano.

 

Entre os exemplos há marca de roupa infantil que têm incentivado troca de figurinhas dentro das lojas para estimular maior fluxo, assim como há redes de chocolates investindo em espaço para cafés e lojas de brinquedos que criaram espaços para que as crianças possam brincar.

 

Do ponto de vista dos shoppings, o levantamento mais recente da Abrasce destaca exatamente essa tendência de transformar os centros comerciais em núcleos de convivência. De acordo com o Censo 2017-2018, 32% dos shoppings fazem parte de um complexo multiuso. Muitos deles incluem condomínio empresarial (63%), hotel (31%), torre com centro médico e/ou laboratórios (28%), condomínio residencial (17%), faculdades/universidades (22%), entre outros. Cada vez mais comuns, os complexos multiuso otimizam a exploração dos espaços e oferecem maior comodidade e conveniência aos frequentadores.

 

Segundo Michel Cutait, especialista em Shopping Center e Varejo e Diretor da Consultoria Make it Work, “a ampliação das ofertas do shopping centers para intensificar a disponibilidade de serviços, lazer, entretenimento e conveniências para os consumidores é uma reação natural às mudanças de comportamento dos consumidores, que já não encontram a satisfação somente na aquisição de bens de consumo, mas buscam, principalmente, serviços que facilitem suas vidas cotidianas e solucionem problemas pessoais, como também estão interessados em experiências que possibilitem que o passeio no shopping seja uma oportunidade para desfrutar de momentos de alegria e boas lembranças”.

 

Essa nova realidade de mercado impõe um desafio adicional aos proprietários dos shoppings centers ligado à rentabilidade dos empreendimentos, uma vez que provavelmente precisarão rever seus contratos de precificação. “Até hoje os empreendedores se encontravam em uma posição segura e vantajosa, pois, independentemente do impacto que seus lojistas estivessem enfrentando com a crise e queda nas vendas, eles tinham uma receita garantida, seja em cima dos metros quadrados alugados ou de um percentual das vendas dos lojistas”, completa Tais.

 

Sobre a Fesa Group

Consultoria especializada em executive search e estratégia de capital humano, representada pelas marcas Fesa (busca e seleção de altos executivos), Asap (busca e seleção executivos para média gerência) e Fesa Advisory (consultoria de capital humano e organização). A Fesa Group foi fundada há 23 anos e hoje, comandada por Carlos Guilherme Nosé, está presente em todo o Brasil por meio de escritórios distribuídos estrategicamente em nove cidades, formando um time de profissionais altamente especializados nas mais diversas áreas da economia.