Imprensa / Notícias do Setor / Notícias do setor

20/04/2017



PRESIDENTE DA ABRASCE É ENTREVISTADO PARA A COLUNA PRIMEIRA PESSOA DO JORNAL O ESTADO DE S.PAULO



                                      


Na edição do dia 17 de abril, a coluna Primeira Pessoa, do jornal O Estado de S. Paulo ouviu Glauco Humai, presidente da Abrasce, sobre o panorama da indústria de Shopping Centers.


Humai falou sobre as vendas em shoppings, as expectativas para este ano, inaugurações previstas – este ano serão 24 inaugurações, e em 2018, outras 16 -, o impacto do cenário econômico neste mercado, e também sobre as tendências que têm modificado o perfil dos empreendimentos. Falou também sobre movimentos sociais que acabam influenciando o comportamento de compra do consumidor como mobilidade urbana e economia compartilhada. “Muitos consumidores vão aos shoppings para utilizar serviços. Há cinco anos, este público representava 8% e hoje são 11%, e tende a crescer. Cada vez mais o shopping será um centro de convivência, com torres comerciais e de saúde”, disse o presidente da Abrasce ao jornal Estadão.


Quando perguntado sobre vacância, Humai explicou que há duas realidades nesse setor. “Os shoppings novos e os maduros. A vacância ocorre em novos empreendimentos (construídos nos últimos quatro anos). O ano de 2016 foi ruim como um todo, mas tivemos crescimento de 4,3% nas vendas”, disse. A explicação para este resultado está na busca por maior eficiência. “Os gestores ficaram mais atentos a custo e buscam maior eficiência, seja com novas fontes de energia e negociação com lojistas”, complementou Humai. No ano passado as vendas somaram R$ 158 bilhões, e para este a estimativa é atingir vendas de R$163 bilhões. Na entrevista, ele afirmou ainda que a verdadeira recuperação virá em 2018.


Durante todo o ano a Abrasce se mantém presente nos principais veículos de mídia do país, com entrevistas e divulgação de pesquisas, expondo os números expressivos da indústria, e ajudando a opinião pública a ter uma visão mais apurada da influência dos shopping centers na economia e no cotidiano.