espaço do

ASSOCIADO

[OPINIÃO] O setor de Shopping Centers durante a pandemia

Todos os setores têm se adaptado e, principalmente, se reinventado nesse momento extremamente complicado pelo qual todos estamos passando. Não há um segmento sequer que não tenha se mostrado preocupado com a saúde e o bem-estar das pessoas. Esse texto, no entanto, foca nos shopping centers, sua grandeza, sua responsabilidade e sua importância em nossa economia.

Segundo dados de 2019 da Abrasce – Associação Brasileira de Shopping Centers, o Brasil tem um total de 577 shopping centers, ocupando 16 milhões de metros quadrados, contendo mais de 105 mil lojas, com faturamento anual superior a R$ 190 bilhões, recebendo na ordem de 502 milhões de pessoas por mês e gerando mais de 1.100.000 empregos. Com todos esses números impressionantes, de um setor que ainda promete crescer muito nos próximos anos, a preocupação está nos mínimos detalhes e na segurança de cada um dos seus frequentadores.

Desde o início da pandemia, antes mesmo desse surto chegar em nosso País, os shopping centers, liderados pela Abrasce, já começaram a promover diversas adaptações em seus ambientes, implantando processos e ampla comunicação visual, reforçando equipes, adquirindo novos equipamentos e ampliando os cuidados com higiene e desinfecção, sempre com o propósito de levar informação e proteção aos seus colaboradores, lojistas e clientes. Do início do ano passado até agora não se poupou recursos para implantar nos shoppings os mais rigorosos protocolos, ao contrário, muito foi e está sendo investido nesse sentido, sempre com os olhos voltados às pessoas, com total responsabilidade em poder recebê-las com segurança nas áreas comuns e nas lojas dos shoppings.

Em todo esse complexo período o segmento se mostrou totalmente eficiente ao cumprimento de todas as exigências que lhes foram feitas e tem se mostrado um exemplo de como é possível, com seriedade, empenho e muito trabalho, se manter operando – preservando as empresas e os empregos que geram – mesmo num momento difícil como esse, vivido em todo o mundo.

Infelizmente o setor ainda sofre com fechamentos e reduções de horários de funcionamento, mas vai continuar trabalhando, se provando amplamente capacitado em poder continuar operando plenamente, sempre proporcionando o máximo de proteção às pessoas, afinal isso sempre esteve no DNA dos shopping centers, oferecer o melhor a todos, no ambiente mais prazeroso e seguro possível.

Autor: Ivan Mouta – Gerente Geral do Bauru Shopping Center

Nós utilizamos cookies para analisar e melhorar sua experiência de navegação e recomendar conteúdos de seu interesse. Ao navegar pelo site, você concorda com este monitoramento e o uso de cookies. Em caso de dúvidas, acesse nossa Política de Privacidade.