espaço do

ASSOCIADO

A vacina para recuperar a saúde do varejo

Por Daniela Leal, gerente de marketing do Ventura Shopping

O varejo brasileiro já falava de transformação digital e sobre a aceleração das estratégias online há muito tempo. Antes da pandemia, até ouvíamos que presença online não era tão importante. O setor de shopping também tinha muitas dúvidas sobre esse caminho. Mas o coronavírus chegou e, da noite para o dia, os shoppings centers foram fechados.

A partir daí, os investimentos e todas atenções se voltaram para as estratégias digitais. Novas soluções foram implementadas rapidamente, para atender consumidores e lojistas. Já estava no nosso planejamento a implantação de um canal digital como mais uma alternativa de vendas, mas certamente a urgência da pandemia acelerou todos os esforços.

Diante do shopping fechado, a palavra “desistir” nunca foi considerada. Foram muitas dificuldades, noites sem dormir, mas o comprometimento com nossos lojistas parceiros nos motivaram a nos reinventar.

Ainda não descobrimos a “vacina” para colocar as vendas no mesmo patamar de 2019, mas criamos um remédio muito eficiente para combater a crise. No nosso caso, criamos uma plataforma chamada de Vitrine Virtual num tempo recorde, em quinze dias de trabalho. Dentro no site do shopping, os clientes têm ofertas exclusivas, fotos de diversos ângulos, entrar em contato com os lojistas e finalizar a compra. Tudo numa plataforma simples e com muita segurança. Conseguimos ter sucesso e a maioria das vendas em meio à pandemia foram feitas por meio dessa ferramenta. Tenho orgulho em dizer que fomos o primeiro shopping de Curitiba a ter nosso próprio marketplace com vendas online, sem depender de outra ferramenta para integrar lojista e cliente. Também fico muito feliz que a ferramenta possibilitou à muitos lojistas dar o passo inicial no mundo virtual.

Além dessa transformação digital, instalamos um sistema de drive-thru no estacionamento do shopping, seguindo todas as recomendações de saúde. O mais impactante disso tudo é que, se não fosse a pandemia, não conseguiríamos fazer tudo isso num prazo tão curto. Praticamente da noite para o dia, estava tudo montado e a logística para conseguir receber e entregar os produtos para os clientes realizada com sucesso. O melhor (para clientes e lojistas) é que essas facilidades vão continuar sendo utilizadas pelos clientes, mesmo quando tudo isso acabar.

Afinal, em meio às dificuldades, encontramos novas formas de comprar e de vender. Passamos a estreitar ainda mais o relacionamento com os lojistas, conseguimos ver a riqueza da base de dados, a importância do CRM e notamos que os clientes estão mais receptivos para promoções (desde que sejam personalizadas e adequadas aos anseios de cada um).

Mas a pandemia não nos levou apenas a isso. Tivemos que nos reinventar e nos colocar na linha de frente para apoiar os lojistas e divulgar os produtos. Eu mesma enfrentei desafios pessoais e me coloquei à frente para divulgar as promoções e lançamentos nas redes sociais do shopping. O que antes era feito por profissionais contratados e com mais experiência, dessa vez foi realizado por mim. Sem filtro (mas com máscara) e com uma tremenda vontade de ajudar.

A pandemia está nos tirando muitas coisas das quais gostamos. Mas ela também está nos tirando da zona de conforto. E, enquanto a vacina não chega, vamos utilizando outros “remédios”.