defesa do

SETOR

Pesquisa da Abrasce revela que seis em cada dez consumidores já visitaram algum shopping após a retomada

Levantamento foi divulgado durante segundo dia do 16º Congresso Internacional de Shopping Centers

Na última quarta-feira (21), a Associação Brasileira de Shopping Center apresentou o estudo inédito “Shopping centers e consumidores: sentimentos e percepções do presente e do futuro”, durante o segundo dia do 16º Congresso Internacional de Shopping Centers da Abrasce. Uma das principais conclusões da pesquisa é que seis em cada dez consumidores já foram em algum shopping center após o início da reabertura dos empreendimentos. O levantamento foi feito em parceria com a Fronte, especializada em pesquisa e análise de mercado, e ouviu 515 consumidores residentes em capitais e regiões metropolitanas de cidades que abrigam shoppings centers.

Entre os consumidores de baixa renda, 64% já visitaram algum shopping, seguidos pelos de renda média (58%) e alta renda (56%).

A pesquisa também identificou o sentimento dos consumidores com base no seu  envolvimento emocional com os shoppings. Entre as pessoas de alto envolvimento, 84% declararam que não visitaram nenhum empreendimento ainda por insegurança devido à pandemia. Por outro lado, uma parcela muito pequena desses consumidores com forte evolvimento emocional deixaram de retornar por falta de vontade ou necessidade, ou seja, 6% e 4%, respectivamente. “Passamos por um momento novo que nos trouxe muito aprendizado e oportunidade de inovar ainda mais. Desenvolvemos junto com Sírio-Libanês um dos protocolos de cuidado e segurança mais rígidos e referência no país”, afirma Glauco Humai, presidente da Abrasce.

O estudo também idenficou o sentimento dos consumidores em relação aos shopppings. Para 88%, os empreendimentos brasileiros representam sentimentos positivos, como alegria, segurança, felicidade e confiança. Outros 7% declararam não associarem sentimentos aos empreendimentos e apenas 5% disseram que os shoppings provocam sentimentos negativos. Segundo o levantamento, três em cada dez consumidores vão a shopping para se distrair, mesmo que não tenham nada para fazer lá. Esse perfil de consumidor, prioritariamente mulher e de renda média-baixa, adora o ambiente dos shoppings e fica em suas dependências  pelo máximo de tempo que podem.

Por outro lado, a pesquisa identificou que um em cada dez consumidores usa o shopping de maneira estritamente funcional, tentando resolver tudo rapidamente para ir embora o mais rápido possível, sendo as compras seu principal objetivo. Esse tipo de consumidor, em sua maioria, é homem e de renda alta, o qual dificilmente se conquista com lazer.

Também vale destacar que existe uma parcela de pessoas que busca no shopping a sensação de não estar sozinha. Segundo a pesquisa, dois em cada dez consumidores têm esse comportamento, que é mais frequente entre clientes acima de 50 anos (24%), seguidos pelas pessoas entre 40 e 49 anos (14%); 30 a 39 anos (18%) e até 29 anos (14%). O ócio também é motivo para as pessoas visitarem os empreendimentos. Por volta de 43% dos entrevistados declararam buscar os shoppings para se distrair quando não têm nada para fazer. E 47%, sendo a maioria mulheres, disseram adorar estar em ambiente de shopping,

As memórias afetivas ocupam importantes espaços na mente do consumidor. Mais da metade dos clientes (61%) guarda na memória boas histórias vividas em shopping. Esse percentual cresce entre consumidores de menor renda. São histórias de todos os tipos, das mais divertidas até as mais emocionantes. Momentos com os amigos, família e relacionamentos amorosos estão no topo da lista.