Imprensa / Notícias do Setor / Espaço do Associado

20/09/2017



BOULEVARD SHOPPING BH RECEBE TROFÉU OURO DE SUSTENTABILIDADE DURANTE O PRÊMIO ABRASCE 2017 PELO PROJETO “BEGREEN BOULEVARD”


PREMIAÇÃO ACONTECEU EM SÃO PAULO E SHOPPING FOI CONTEMPLADO COM PRÊMIO MÁXIMO NA CATEGORIA “NEWTON RIQUE DE SUSTENTABILIDADE”

 

Na noite da última quarta-feira, 13 de setembro, o Boulevard Shopping Belo Horizonte conquistou o troféu ouro durante a edição 2017 do Prêmio Abrasce”, em São Paulo. O projeto “BeGreen Boulevard – a primeira fazenda urbana da América Latina”recebeu o prêmio principal na categoria Newton Rique de Sustentabilidade. O superintendente do Boulevard, Daniel Vieira; o então gerente de Marketing na época da inauguração do projeto, Paulo Ceratti; e o idealizador do projeto Giuliano Bittencourt receberam o prêmio em nome da equipe da casa. Em seis anos de funcionamento, este é o quinto Prêmio Abrasce e o 15º prêmio que o Boulevard Shopping BH conquista.

O Prêmio Abrasce reconhece os melhores projetos conduzidos por shoppings em sete categorias: Newton Rique de Sustentabilidade, Expansão & Revitalização, Marketing Campanhas Institucionais, Marketing Eventos e Promoções, Marketing Eventos e Promoções de Natal, Novos Empreendimentos e Gestão de Equipes. O evento é realizado anualmente e tem como principais objetivos fortalecer o setor e incentivar projetos desenvolvidos pelos centros de compras de todo Brasil filiados à instituição. Em 2017, o prêmio aconteceu no Teatro Cetip, em Pinheiros, São Paulo.

Glauco Humai, presidente da Abrasce destaca a importância do Prêmio Abrasce para o setor de shoppings centers do Brasil. “O Prêmio Abrasce é um reconhecimento e um incentivo a iniciativas que unem criatividade e responsabilidade e que consolidam o papel dos shoppings no desenvolvimento do país”, diz.

O superintendente do Boulevard, Daniel Vieira, ressalta que este troféu ouro é resultado de muito trabalho para colocar em prática um projeto inédito na América Latina e que visa melhorar a qualidade de vida das pessoas. “Este prêmio Newton Rique de Sustentabilidade nos dá muito orgulho e satisfação, pois ele é o reconhecimento de um grande trabalho realizado por toda a administração do Boulevard. Um projeto inédito, grandioso e de excelência que conseguimos tirar do papel em menos de seis meses e que hoje é uma grande vitrine e motivo de inspiração para o setor”, ressalta.

PROJETO PREMIADO: Categoria Newton Rique de Sustentabilidade – “BeGreen Boulevard – a primeira fazenda urbana da América Latina”

Desde o dia 12 de maio, está em funcionamento em Belo Horizonte a primeira Fazenda Urbana da América Latina, numa parceria inédita entre a startup BeGreen e o Boulevard Shopping. O espaço de 2.700 m² funciona no próprio Boulevard para a produção de hortaliças sem agrotóxicos com um sistema inovador de cultivo em consórcio com a criação de peixes.

O projeto traz todo um conceito alicerçado na sustentabilidade. No espaço, há redução do consumo de água com captação da chuva; e em breve será utilizado o composto proveniente do lixo orgânico da Praça de Alimentação do Boulevard como substrato para o crescimento das verduras. Além disso, não tem emissão de CO², pois além da autossuficiência elétrica do projeto, o consumidor final adquire os produtos da fazenda in loco, sem serviços de logísticas e entrega.

A fazenda sediada no Boulevard tem uma estufa de 1.500 m² e capacidade para produzir até 50 mil pés de alfaces baby e ervas por mês. Dentre as hortaliças cultivadas, seis tipos de mini alfaces holandesas, rúcula, agrião, espinafre, beterraba, couve, temperos e ervas como tomilho, sálvia, coentro, salsa, cebolinha, hortelã e basilicão. Além da estufa, o espaço contempla a loja Casa Horta, para a venda dos produtos cultivados e de produtores locais; a Casa Amora, restaurante conceito ‘farm-to-table’ (da fazenda para a mesa); e um espaço de convivência com mesas, deck e palco para realizações de eventos relacionados à vida mais saudável e à conscientização da nova agricultura.

O projeto primou por utilizar o mínimo de novos produtos, tendo como norte a reutilização de materiais. Para isso, toda a obra será feita de containers que virariam sucata; as mesas e cadeiras do espaço terão como matéria prima a madeira plástica, que sofre um processo de transformação do plástico jogado fora; e todo o piso será feito com material de rejeito de mineração.