Imprensa / Notícias do Setor / Notícias do setor

26/06/2017



CRIE UMA VITRINE MAGNÉTICA


Especialista em visual merchandising dá dicas para uma vitrine infalível

 

Por Ticiana Werneck, da Abrasce

 


Lígia Rolim é uma apaixonada pelo varejo. Adora tudo que está relacionado com o ponto de venda, principalmente vitrine e visual merchandising.

Há mais de 15 anos nesse mercado, já trabalhou com marcas de luxo como Prada, Valentino, Carolina Herrera e empresas multinacionais. Formada em moda pela faculdade Santa Marcelina, com especializações em centros como St Martins School, de Londres, e Escuela Massana, de Barcelona, viu sua vida mudar ao se descobrir grávida. “Sempre trabalhei muito até que engravidei da minha filha e foi a primeira vez em anos que fiquei de licença médica. Simplesmente não sabia o que fazer o dia todo em casa com aquele barrigão”, conta. Solução: ela começou a passear pelo bairro e entrar em todas as lojas. “Fiquei impressionada com os erros básicos cometidos por quase todos os comerciantes”, comenta.

Ela começou a dar conselhos sobre varejo e técnicas de venda para esses lojistas. “Eles não só aceitavam as dicas como implementavam e viam resultados quase que imediatos. Comecei a ficar conhecida pelos lojistas da região”, lembra entre risos. Começou assim seu projeto Retail Expert, e ela agora se dedica a palestras e consultorias. Confira a seguir algumas dicas de Ligia para potencializar o poder das vitrines:

 

Portal da Abrasce – Você fala muito no poder de uma vitrine magnética. Mas o que a define?

Lígia Rolim – Vitrine magnética é aquela que se converte em vendas. Percebo que muitos varejistas preferem gastar dinheiro com outros tipos de investimento, como compra de produtos ou mesmo móveis para o interior da loja, e a vitrine acaba ficando para depois. Mas a vitrine é o cartão de visitas da loja. O consumidor leva três segundos para decidir se entra ou não em uma loja - três segundos é o tempo que a vitrine tem para comunicar o conteúdo da loja. A vitrine deve ser algo vivo, e deve mudar, se possível, duas vezes por mês. Isso é um agrado para o cliente.

Existem vários aspectos que nos fazem parar e admirar uma vitrine por mais de três segundos:

- Temática diferenciada: significa sair do básico e esperado pelo consumidor. O varejista deve surpreender seu cliente e demonstrar o quanto se importa com seu público. A vitrine deve ser planejada com cuidado, nada de ir colocando itens só porque acabaram de chegar na loja. Uma boa vitrine deve ser programada com antecedência, deve basear-se em um tema que tenha coerência com toda a campanha comercial dessa loja/marca.

- Combinação de cores: é a chave para a harmonia do contexto. Para os iniciantes, recomendo não trabalhar com mais de três cores e ter como suporte o círculo cromático (pode-se imprimir diretamente da internet). Aqui o macete é: as cores opostas na cartela sempre combinam! As cores primas já são mais complicadas de acertar.

- Iluminação correta: luz é tudo. No varejo, o que se ilumina se vende. Uma vitrine com focos de luz de qualidade e bem direcionados já tem meio caminho andado para dar certo. O investimento nesse material é quase uma obrigação.

 

Portal da Abrasce - Quais os erros mais comuns?

Lígia Rolim - Parece mentira, mas um dos erros mais comuns é a falta de limpeza e manutenção. Nem as marcas de luxo escapam desse pecado. Não é difícil ver a vitrine de uma joalheria com peças caríssimas em exposição e uma capa de pó gritante na bandeja de apoio. Ou até fios e tomadas à mostra que tiram todo o glamour da marca. São erros básicos e fáceis de solucionar.

 

Portal da Abrasce - O que é considerado infalível?

Lígia Rolim - Não existe uma fórmula mágica, é uma combinação de componentes. O lojista precisa conhecer seu cliente mais do que a si mesmo, precisa entrar em sintonia com o que este consumidor busca e isso se traduz no tipo de exposição na vitrine e até a fonte do texto que utiliza nos banners. Lembrando que uma vitrine nunca vai atingir a todo mundo, nem é este o objetivo. Uma boa vitrine deve atrair o real cliente daquela marca.

Mas é claro que uma boa iluminação, a harmonia as cores, a qualidade dos manequins e a criatividade são os primeiros passos para o sucesso.

 

Portal da Abrasce - Como a vitrine está inserida em toda a estratégia de visual merchandising de um varejista?

Lígia Rolim - A vitrine é a cara exterior do visual merchandising global, é o primeiro contato que o consumidor terá com esta loja/marca. Então pode-se entender que o visual merchandising se divide no que acontece dentro da loja e fora dela, que seria a vitrine. Digamos que a vitrine é como um “teaser”, uma pequena amostra da campanha de vendas e da coleção que estará no interior da loja. Também pode ser totalmente aspiracional e mostrar somente imagens de campanha, tudo depende da estratégia daquela marca. Digamos que é uma isca.

 

Portal da Abrasce - Em loja de shopping, a vitrine tem um peso diferente? Qual a especificidade de uma vitrine de loja de mall?

Lígia Rolim - A função de uma vitrine, independentemente de onde estiver, é atrair e captar clientes para o interior da loja para que depois de uma excelente experiência, a venda se concretize.

A grande diferença em um shopping é que existe mais concorrência por metro quadrado. Nesse caso, a vitrine deve fazer um esforço extra para se diferenciar das outras lojas. Dentro desse “esforço”, é indicado acelerar o ciclo de mudança da vitrine, mínimo a cada 15 dias, com o objetivo de manter o interesse desse consumidor.

 

10 dicas para criar uma vitrine magnética, segundo Ligia:

1 – Qual objetivo da vitrine? O que ela quer comunicar? Uma promoção, um novo produto? A mensagem precisa ser clara.

2 – Qual o tema da vitrine? Ela deve contar uma história, e essa história não é só a estação do ano. Escolha um tema, busque inspiração.

3 – O produto exposto precisa estar na altura dos olhos do cliente. Por mais óbvia que esta dica seja, muitos varejistas não a seguem.

4 – Use simetria. A simetria é percebida pelos olhos como sinal de beleza num rosto, num corpo, e também numa vitrine. Sempre funciona!

5 – Use três níveis de exposição. Aproveite o espaço disponível para expor as peças em diferentes níveis.

6 – Use imagens inspiradoras que coincidam com o tema da vitrine. Boas imagens causam grande impacto.

7 – Uma só peça exposta na vitrine tem um enorme poder. Menos é mais.

8 – Para o lojista que trabalha com multimarcas, aconselho que se aproveite das equipes criativas dessas marcas. As grandes marcas possuem estrutura e podem assessorar o lojista a melhor expor as peças.

9 – Limpeza! O senso comum nem sempre é uma prática comum. Pó e fios à mostra tiram valor e força de uma vitrine.

10 – Se todos os passos foram seguidos, ainda há um último e importante: todos os dias antes de abrir a loja cheque se a vitrine permanece impecável. Essa é uma lição de casa importante.