Imprensa / Notícias do Setor / Notícias do setor

14/03/2017



A IMPORTÂNCIA DO LÍDER PARA O ACULTURAMENTO DA SUSTENTABILIDADE


Portal da Abrasce conversou com o especialista em sustentabilidade Ricardo Voltolini, que afirmou: “uma liderança comprometida é fundamental para que o tema não seja um simples acessório mas sim parte da estratégia da empresa”

Por Ticiana Werneck, da Abrasce

 

 

“Sustentabilidade não é só meio ambiente. É uma nova forma de pensar e fazer negócios com ética, transparência, responsabilidade e respeito ao outro, que engloba também o cuidado com o meio ambiente”. Assim pensa Ricardo Voltolini, diretor-presidente da consultoria Ideia Sustentável.

 

Há mais de 20 anos, ele atua como consultor de sustentabilidade e acompanha a evolução do tema na gestão das empresas. Foi, assim, um dos primeiros consultores empresariais de sustentabilidade no Brasil, prestando serviço para mais de 90 empresas, como Instituto Avon, Lojas Renner, Natura, Santander e Tetra Pak.

 

É autor de três livros sobre sustentabilidade, entre eles “Escolas de Líderes Sustentáveis – Como empresas estão envolvendo e educando líderes para a sustentabilidade”. Para ele, após tantos anos estudando o setor, a principal conclusão a que chega é justamente o poder de uma liderança engajada no aculturamento da empresa. “Um líder guiado por valores sustentáveis toma decisões não-pontuais, mas sim sistêmicas, e influencia toda a equipe a pensar desta maneira”, diz. Acompanhe a seguir o bate-papo com Voltolini:

 

 

 

Portal da Abrasce - O setor de shopping centers brasileiro soma 558 malls. Qual a importância da sustentabilidade para esta indústria?

 

Ricardo Voltolini – Sem dúvida, enorme. Mas antes, é importante compreendermos e estrutura de um shopping center em sua totalidade.

 

Sustentabilidade não é só meio ambiente. Compreende a capacidade de reconhecer impactos sociais e ambientais e trabalhar para minimizá-los ou mesmo eliminá-los. É uma nova forma de pensar e fazer negócios com ética, transparência, responsabilidade e respeito ao outro, que engloba também o cuidado com o meio ambiente.

 

Sendo assim, sustentabilidade compreende as três esferas:  social, ambiental e econômica (também conhecida como triple bottom line, que é o tripé da sustentabilidade).

 

 

Portal da Abrasce - O setor de Shopping Centers, representado pela Abrasce, dispõe de um prêmio que homenageia as melhores iniciativas, e diversas ações de estímulo a adoção de práticas sustentáveis. Quais os maiores desafios você enxerga para que o setor tenha melhores resultados neste tema?

 

Ricardo Voltolini - Iniciativas de eficiência energética e de responsabilidade social com a comunidade do entorno são válidas mas devem fazer parte de uma visão mais ampla. Em vez de olhar ponto a ponto é hora de partir para o olhar sistêmico, ou seja, analisar cada aspecto que pode ser melhorado. Não só o ambiental, não só o social, não só o econômico. Será que estamos fazendo tudo que é possível? Não dá para fazer mais? Este é o mote. Como disse, sustentabilidade remete a uma nova forma de atuar no mercado com mais responsabilidade econômica, ambiental e social.

 

Por exemplo, acessibilidade. O mall possui acessos para pessoas portadoras de necessidades especiais? E o bem-estar, segurança e saúde de seus colaboradores? O que o mall tem feito para oferecer melhores condições para que estas pessoas se sintam melhor acolhidas no ambiente de trabalho? Estas também são dimensões da sustentabilidade.

 

Muitos não enxergam a totalidade que compreende a sustentabilidade, mas cuidar do outro – e não só do cliente ou consumidor mas do funcionário - também é sustentabilidade.

 

Vejo que cada shopping pode aproveitar sua atração natural, por ser uma referência do bairro e cidade, e aproveitar seus corredores ou áreas vazias para prestar orientações à população sobre temas importantes para a sociedade como consumo consciente de produtos e recursos naturais, por exemplo. Cada shopping center tem um enorme potencial para se envolver com campanhas e ajudar na educação das pessoas.

 

Portal da Abrasce - Qual a relevância de ter líderes imbuídos de propósitos sustentáveis?

 

Ricardo Voltolini - Posso afirmar com grande segurança, após mais de vinte anos nesta área, que uma liderança engajada é a variável fundamental para que a sustentabilidade não seja algo pontual, mas sim um aspecto estratégico do negócio.

 

Uma liderança comprometida é capaz de mudar a forma como a empresa toda faz negócios, e influenciar os níveis abaixo. Quanto mais comprometida com sustentabilidade é a liderança mais o tema deixa de ser um acessório para ser algo verdadeiramente relevante para a gestão e cultura da organização.

 

Mas, enquanto muitos executivos ainda seguem achando que sustentabilidade é algo menor, realizando apenas iniciativas isoladas e não relacionadas ao negócio, outros já a enxergam como intrínseca à toda organização.

 

 

Portal da Abrasce – Como deve ser a atuação deste líder comprometido?

 

Ricardo Voltolini – Atuar de forma sustentável acarreta em resultados positivos para a empresa. Há redução de custo, melhora do ambiente de trabalho e da reputação e ampliação das oportunidades. Quando o líder pensa e age de forma sustentável, ele cria engajamento em toda equipe e o aculturamento é mais rápido em todos os níveis.

 

Vejo uma nova geração de líderes idealistas, mais jovens, que só tomam decisões de acordo com valores sustentáveis. É algo natural para eles. Não aceitam determinadas negociações pois estas divergem de seus valores, já que a sustentabilidade é algo arraigado nele.

 

Nestas organizações, a sustentabilidade permeia todo o planejamento estratégico, e influencia ações, metas e iniciativas. O bônus dos executivos, inclusive, está condicionado à performance do triple bottom line. As metas de sustentabilidade têm o mesmo nível de importância que as metas financeiras.