Imprensa / Notícias do Setor / Notícias do setor

01/12/2016



ABRASCE 40 ANOS: CONHEÇA UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA


                                                                         

Abrasce completa 40 anos desenvolvendo competências e com papel cada vez mais relevante na representação de toda a indústria

Por Christye Cantero e Renato Müller*

 

A história da Abrasce reflete as transformações do setor. Se há 50 anos a indústria nascia a partir do olhar visionário de alguns empresários, essa visão se desenvolveu para se transformar em uma importante força da economia nacional. A Abrasce acompanhou esse movimento e ao longo do tempo se transformou para atender às demandas do setor e representá-lo na defesa de seus interesses.

No final dos anos 60, Donald Stewart, então presidente da construtora Ecisa, ouviu falar da University of Shopping Centers, uma reunião organizada pelo International Council of Shopping Centers (ICSC) nos Estados Unidos. No Brasil havia apenas um shopping em operação (o Iguatemi São Paulo), enquanto no mercado americano os malls eram um sucesso absoluto. Stewart, sócio do Conjunto Nacional (que seria inaugurado em Brasília em 1971), percebeu que o setor poderia trilhar o mesmo caminho no país.

Em 1974, Stewart viajou a Las Vegas com seus sócios Eugênio Agostini Netto (que abriria em 1980 o Shopping Recife) e Sérgio Carvalho (fundador da Ancar) para participar da convenção anual do ICSC. Surgiu então a ideia de formar no Brasil uma entidade que reunisse os shopping centers. A iniciativa ganhou adeptos rapidamente: Alfredo Mathias, Carlos Francisco Ribeiro Jereissati, José Isaac Peres, Newton Rique, José Carlos Ourivio, Jonas Leite Chaves e Geraldo Elmer Barreto Góes se uniram a Stewart, Carvalho e Agostini Netto para criar, em 1976, a Associação Brasileira de Shopping Centers. Desde o início, a Abrasce tinha como objetivo reunir as experiências dos pioneiros do setor, de maneira a compartilhar boas práticas de gestão e encontrar soluções para problemas comuns.

“Éramos poucos associados e pouca gente conhecia os shoppings. Fazíamos reuniões frequentes entre advogados e lojistas para explicar o conceito de shopping, mostrar os contratos, porque era algo que gerava muitas dúvidas e insegurança para lojistas que nunca tinham ouvido falar em shopping”, afirma Eugênio Agostini Netto. Para ele, a inovação que os shopping centers representaram para o varejo brasileiro só foi possível com muita persistência. “No início, o consumidor tinha medo de entrar nos shoppings, era um ambiente ao qual ele não estava acostumado. Com muita insistência, fizemos o setor acontecer”, afirma.

Celio Pinto, presidente da Abrasce entre 1996 e 1997 e também um dos pioneiros do setor (planejou e comercializou o RioSul, primeiro shopping do Rio de Janeiro), afirma que a entidade teve um papel fundamental na organização do setor, adaptando a experiência americana ao mercado brasileiro. O relacionamento desenvolvido com o ICSC foi tão forte que o 1º Congresso Brasileiro de Shopping Centers, realizado em 1986 no Rio de Janeiro com 1,5 mil participantes, teve o presidente do ICSC, Albert Sussman, como convidado especial. Sussman é considerado hoje o arquiteto de todos os principais componentes da entidade americana, especialmente nas áreas de informação, educação e apoio aos associados, e certamente sua influência é sentida até hoje. “Através de informação e conhecimento todo mundo cresce”, resume Marcelo Carvalho, presidente da Abrasce em 2007 e 2008.

No final dos anos 90, sem perder de vista sua vocação como formadora de profissionais para o setor e de disseminação de melhores práticas, a entidade viu a necessidade de se estruturar para defender o setor e mostrar como as leis propostas e aprovadas impactam os empreendimentos e, consequentemente, a geração de empregos, negócios e impostos. “Hoje a associação representa os interesses dos associados de uma forma mais completa do que no passado, o que mostra que ela soube entender do que o mercado precisava e, assim, se atualizar”, afirma Henrique Falzoni, presidente da Abrasce entre 1996 e 1998.

Para Carlos Jereissati Filho, presidente da entidade em 2003 e 2004, a entidade tem uma importância fundamental no desenvolvimento sustentável do setor. “A associação vem agindo fortemente na defesa da indústria por meio de um diálogo constante com os públicos que interagem com nosso negócio. Além disso, a formação e reciclagem de profissionais qualificados contribui para a força dos shopping centers”, avalia.

Em 2009, com uma mudança estatutária, a Abrasce passou a ter um presidente executivo, em vez de contar com um executivo da indústria que dedicava parte de seu tempo à entidade. Uma mudança que reflete o crescimento do setor e a necessidade de cobrir um escopo maior de atividades, e que tem sido positiva em uma série de aspectos. A presença da associação como força política, por exemplo, mostrando aos membros do Executivo e do Legislativo o impacto das leis sobre os negócios, tem sido cada vez mais relevante. “Este modelo se mostrou extremamente acertado, qualificando quadros com dedicação exclusiva e competência específica para a gestão da nossa associação”, afirma Paulo Stewart, presidente entre 1999 e 2002.

Ao longo dos últimos 40 anos, a ABRASCE tem exercido um importante papel na construção da história do setor e, mais importante, em seu desenvolvimento e fortalecimento.

 

 

A PALAVRA DOS PRESIDENTES:

 

“Evoluímos muito rápido e desenvolvemos empreendimentos relevantes, competitivos e que não devem nada a nenhum shopping no mundo”.

(Sergio Carvalho, presidente da ABRASCE em três períodos: 1976-1978, 1986-1987 e 1992-1993)

 

“Tenho orgulho de ter pertencido àquela época. Eram tempos bem diferentes, em que o próprio conceito de shopping centers não era muito conhecido. Precisávamos fazer um trabalho constante de evangelização do mercado”.

(Eugenio Agostini Neto, presidente da ABRASCE em 1981)

 

“Plantamos na minha gestão justamente a ideia da defesa da indústria como um todo, sem esquecermos a continuidade da divulgação dos bons princípios de gestão do setor”.

(Henrique Falzoni, presidente da ABRASCE entre 1996 e 1998)

 

“Fui o primeiro presidente da segunda geração de empreendedores, liderando, de certa forma, uma transição entre a experiência dos pioneiros e o ímpeto desenvolvimentista da juventude”.

(Paulo Stewart, presidente da ABRASCE entre 1999 e 2002)

 

“A criação da Abrasce foi fundamental para o setor, porque passamos a atuar conjuntamente para a criação de políticas e estratégias comuns às empresas, defendendo nossos interesses e os da sociedade”.

(José Isaac Peres, presidente da ABRASCE em 1988 e 1989)

 

“Após 40 anos, a Abrasce chega à sua maturidade, defendendo os pontos de vista do setor, colaborando para a educação dos profissionais, coletando e qualificando dados e informações e sendo seu único porta voz”.

(Glauco Humai, presidente da ABRASCE desde 2015)

 

*Matéria publicada na revista Shopping Centers