Imprensa / Notícias do Setor / Notícias do setor

29/06/2016



VISUAL MERCHANDISING COMO FERRAMENTA DE VENDAS


Uma reflexão sobre a importância do visual merchandising para shoppings e suas lojas

Camila Salek* e equipe Vimer

 

 

As pessoas não vão mais aos shoppings apenas para comprar. Não é nenhuma novidade o fato de que os shoppings centers se tornaram, cada vez mais, espaços de convivência e entretenimento. Neste contexto, as vitrines passam a ter um papel determinante no resultado comercial da marca, especialmente nas lojas que não são tidas como destino dentro do shopping. 

Como agir? Já parou para se questionar como é possível uma marca se destacar dentro de um shopping? Em meio a tantas opções qual seria o fator determinante para a escolha do cliente? 

Em tempos em que a praticidade das compras online tem ganhado forças com os consumidores de uma forma geral, ser estratégico quanto ao aproveitamento do fluxo de clientes de um shopping é algo imprescindível para as marcas. O visual merchandising (VM) é um aliado indispensável para atrair o cliente e transformar o encantamento em vendas. Por isso aí vão cinco dicas preciosas para lojas e shoppings!

 

1. Tudo começa na história

Quando criamos um projeto de VM sempre nos concentramos na história que queremos contar. Ela é a semente que irá gerar toda a conexão com o cliente. Ao contar uma história em uma vitrine por exemplo, devemos estar atentos para criar um ambiente atrativo dentro do tema. O encantamento deve ser imediato, despertando o desejo de compra através da identificação com a proposta da marca.


Aqui, destaco um evento que acontece todos os anos em Londres no bairro do Chelsea – conhecido como Chelsea in Bloom - marcando a entrada da primavera. Todo o bairro é redecorado para convidar as pessoas a aproveitar a primavera que está chegando. Imaginem esta ação acontecendo em um shopping center, não seria incrível?

Cada loja cria, à sua maneira, cenografias inspiradoras dentro da história principal que está sendo contada, e o resultado é sensacional.

 

 

2. Cada detalhe conta

O visual merchandising é feito de detalhes. Caprichar na finalização de produções e exposição de produtos, deixa o produto ainda mais atrativo ao cliente. Evite produtos amassados, é um fator que influencia e muito na apresentação, desvaloriza qualquer produção por melhor que ela esteja.

 

 

3. Agilidade e precisão

A rotina de uma loja de shopping requer agilidade, pois existem picos de movimento, neste caso a reposição dos produtos e a organização da loja devem ser feitas com muita eficiência e rapidez. Planejar-se com um controle consciente do tempo que se leva para executar cada tarefa é tarefa muito importante. Se você pretende ter um trabalho mais artístico no seu ambiente de loja vai levar muito mais tempo para instalar do que a aplicação de um adesivo.



4. Saia da bolha

Pesquise sempre! Saiba quais são as principais tendências, como apresentá-las ao cliente, tenha conhecimento do produto de sua loja para poder fazer propostas assertivas. Visite seus concorrentes, saiba o que está acontecendo ao seu redor, isso lhe permite criar ações e estratégias embasadas em fatos reais.

 

5. De olhos bem abertos 

Faça vistorias periódicas na loja, checando pontos como iluminação, som, temperatura, entre outros. Criar um ambiente agradável ajuda a tornar a experiência de compras do cliente ainda mais prazerosa. Todos estes itens fazem parte do visual merchandising.

 

Independente da cenografia criada, lembre-se que os produtos da vitrine devem ser alterados semanalmente!

 

Pronto. Agora que já sabe como usar o VM como estratégia infalível para venda é só colocar em prática e analisar os resultados.

Boas vendas!  

 

*Camila Salek é publicitária e sócia fundadora da Vimer, empresa especializada em branding e visual merchandising para o varejo.

 

**Todas as fotos que ilustram esta matérias recebem o crédito de WGSN