Imprensa / Notícias do Setor / Notícias do setor

05/04/2016



O PAPEL DO SHOPPING PARA UMA CIDADE COMO BLUMENAU


Qualidade de vida, o desafio principal


Por Napoleão Bernardes, prefeito de Blumenau* 


O conceito de shopping center não é novo. Os primeiros grandes centros comerciais surgiram no século 10 a.C. com o Grande Bazaar, onde atualmente fica o Irã. A Inglaterra abriu outro importante centro de compras, existente até os dias de hoje, em 1774, em Oxford. A partir de 1828, o conceito chegou aos Estados Unidos da América. Os centros comerciais possuem a grande vantagem de concentrar de forma organizada um mix de produtos e serviços que atendem as necessidades do público consumidor.

 

No Brasil, a era formal dos shopping centers tem início em 1966, com o Iguatemi, em São Paulo. Na década de 70, o negócio passa a ser visto como uma indústria, que amadureceu nos anos 80. Os shopping centers são a maneira mais atual de oferecer comodidade, lazer e oportunidades de negócios às pessoas. Em nossa Blumenau, onde o comércio é bastante forte, os shopping centers construíram uma história de sucesso. Se o primeiro foi inaugurado em 1993, recentemente outros dois grandes shoppings foram abertos ao público – e, mais importante, todos com bom volume de público.

 

Blumenau completou 165 anos e a pujança do município, pioneiro em vários setores, da comunicação à preocupação com o meio ambiente, das grandes às micro e pequenas empresas, das artes à tecnologia digital, está exatamente em se atualizar, se reinventar diante dos desafios que se impõem aos municípios brasileiros. Assim como os próprios centros comerciais se reinventaram ao longo dos tempos. Assim como transformamos um Baile do Chopp na internacionalmente famosa Oktoberfest de Blumenau.

 

Nossos índices de desenvolvimento humano e social apontam para um mercado promissor para os shoppings centers. Nos orgulhamos das diversas deferências que recebemos como a primeira cidade do Brasil em longevidade (ONU), primeira em desenvolvimento social (Austin Rating), primeira em educação (Austin Rating), quarta melhor cidade do país para criar filhos (Delta Economics & Finance), sexta melhor em eficiência de negócios (Brazil Competitiveness Profile), 12ª cidade do Brasil e segunda de Santa Catarina em qualidade de vida (Brazil Competitiveness Profile) e 25ª do país e sexta do estado com o melhor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (ONU). São indicadores claros de que qualidade de vida é um fator preponderante que reflete na própria economia do município e região.  

 

Não há dúvida de que esta forma planejada, concentrada e organizada de oferecer produtos e serviços caiu na graça da comunidade blumenauense e de toda a região do Vale do Itajaí, que frequenta nossos shoppings centers. Eles são de fundamental importância para o desenvolvimento do comércio, para o crescimento da economia e para colaborar em nosso constante plano de melhorar a qualidade de vida de nossa gente.

 

*artigo exclusivo escrito para a edição 202 da revista Shopping Center, da Abrasce